ANUNCIE AQUI


Mesmo com o prefeito afastado pela Justiça, maioria dos vereadores não aprovam abertura de processo de impeachment




Mesmo com as graves denúncias de possíveis desvios de recursos públicos da Prefeitura de Cachoeirinha, que resultaram no afastamento do prefeito Miki Breier, após pedido do Ministério Público Estadual e aprovadas por decisão judicial, os vereadores que apoiam a atual administração, deram seu voto para arquivar o pedido de abertura de impeachment do prefeito afastado.




Com o argumento de que não existem provas disponibilizadas ao público, a ampla maioria dos vereadores votaram em não se criar uma nova linha de investigações. Mesmo que a Operação Ousadia tenha recebido participação direta do Procurador Geral de Justiça do Estado, que em entrevistas a grandes veículos de imprensa estadual, que foram repercutidas a nível nacional, onde disse que o Ministério Público tem provas robustas (inclusive com vídeos) sobre os atos ilegais que teriam ocorrido na administração da prefeitura.


Lista da votação: 

Votaram pelo arquivamento do pedido de impeachment:
  1. Brinaldo Mesquita (MDB)
  2. Cristian Wasen (MDB)
  3. Deoclécio Mello (Solidariedade)
  4. Fernando Medeiros (PDT)
  5. Felisberto Xavier (PSD)
  6. Francisco Belarmino - Major (MDB)
  7. Gelson Braga (PSB)
  8. Gilson Stuart (PSB)
  9. Paulinho da Farmácia (PDT)
  10. Pricila Barra (PSD)
  11. Sueme Pompeu de Matos (PDT)

Votaram a favor da abertura do processo de impeachment:

  1. Nelson Martini (PTB)
  2. Mano do Parque (PSL)
  3. David Almansa (PT)
  4. Edison Cordeiro (Republicanos)




** Marco Barbosa se declarou favorável a investigação, mas se absteve de votar por causa do parentesco com o prefeito, que poderia ser usado como motivo em um recurso judicial.
*** Jussara Caçapava não vota por ser presidente da Casa









Postar um comentário

0 Comentários