ANUNCIE AQUI


Cachoeirinha e Gravataí tem casos suspeitos de Coronavírus



Dados são do Informe Epidemiológico do Centro de Operações de Emergência (COE), da Secretaria Estadual da Saúde.


A Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgou nesta sexta-feira (13), que atualmente existem 132.758 casos confirmados de Coronavírus (COVID-19) no mundo, tendo 80.991 ocorridos no território chinês, onde 3.180 casos evoluíram para óbito. Além da China, 122 países confirmaram outros 51.767 casos, dos quais 1.775 evoluíram para óbito. A Itália é o segundo país com maior número de contaminados e mortos, passando de 1.000 casos. 


Situação no Brasil 


No início do mês de fevereiro, mesmo sem nenhum caso confirmado do COVID-19 no Brasil, o Ministério da Saúde (MS) elevou o nível da resposta brasileira para Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN), por meio da Portaria nº 188, publicada no Diário Oficial da União em 03 de março. Na mesma data foi publicado o Projeto de Lei nº 23, que dispõe sobre as medidas de enfrentamento da ESPII decorrente do coronavírus e estabelece medidas de isolamento, quarentena, direitos às pessoas afetadas, entre outros. 


No dia 26 de fevereiro, foi confirmado o primeiro caso de COVID-19 no Brasil, em um paciente residente em São Paulo, que havia retornado da Itália. No dia 13 de março, o Ministério da Saúde atualizou a situação dos casos de COVID-19 no Brasil: 98 confirmados, 1.344 descartados e 1.485 suspeitos. Os casos confirmados foram identificados em Rio Grande do Norte (1), Pernambuco (2), Alagoas (1), Bahia (2), Minas Gerais (2), Espírito Santo (1), Rio de Janeiro (16), São Paulo (56), Paraná (6), Santa Catarina (2), Rio Grande do Sul (4), Goiás (3) e Distrito Federal (2). 


Situação no Rio Grande do Sul 


No Rio Grande do Sul, até 13 de março, foram notificados 288 casos, dos quais 20 são novos em relação ao boletim do dia anterior. Entre os notificados, 4 foram confirmados, 203 descartados e 81 suspeitos seguem em investigação para COVID-19. Todos os casos descartados foram negativos para o SARS-CoV-2. Desde o dia 9 de março, os dados dos casos excluídos não são mais apresentados.


Situação em Cachoeirinha e Gravataí

Moradores da cidade que estiveram em viagem internacional ou que entraram em contato com pessoas que voltaram da Europa, apresentaram os sintomas da doença e foram encaminhados para a realização dos exames.

Cachoeirinha

Caso suspeito em análise: 1 paciente
Descartado a contaminação: 3 pacientes
Total: 4 pacientes

Gravataí 

Caso suspeito em análise: 4 pacientes
Descartado a contaminação: 3 pacientes
Total: 7 pacientes


Quais são os sintomas do coronavírus?


Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias. No entanto, o coronavírus (SARS-CoV-2) ainda precisa de mais estudos e investigações para caracterizar melhor os sinais e sintomas da doença.

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:

Febre.

Tosse.

Dificuldade para respirar.

Como o coronavírus é transmitido?

As investigações sobre as formas de transmissão do coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa, ou seja, a contaminação por gotículas respiratórias ou contato, está ocorrendo.

Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1m) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

É importante observar que a disseminação de pessoa para pessoa pode ocorrer de forma continuada.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o coronavírus se espalha de pessoa para pessoa.

Apesar disso, a transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

-gotículas de saliva;
-espirro;
-tosse;
-catarro;
-contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
-contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe.

O período médio de incubação por coronavírus é de 5 dias, com intervalos que chegam a 12 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

A transmissibilidade dos pacientes infectados por SARSCoV é em média de 7 dias após o início dos sintomas. No entanto, dados preliminares do coronavírus (SARS-CoV-2) sugerem que a transmissão possa ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas.

Até o momento, não há informações suficientes de quantos dias anteriores ao início dos sinais e sintomas uma pessoa infectada passa a transmitir o vírus.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

Evitar contato próximo com pessoas doentes.

Ficar em casa quando estiver doente.

Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.



Com informações da SES/Agência Brasil
Imagem: Agência Brasil








Postar um comentário

0 Comentários