ANUNCIE AQUI


CACHOEIRINHA | Movimento RS-118 sem pedágio se reúne nesta segunda-feira (24)




Na última segunda-feira (17), foi criada em Gravataí o “Movimento RS-118 sem pedágio”, que contou com o apoio das regionais metropolitana e Vale do Sinos da Federasul, e das entidades comerciais e industriais das cidades de Gravataí (ACIGRA),  Esteio (ACISE),   – Sapucaia do Sul (ACIS),  Nova Santa Rita (ACISA), Cachoeirinha (da ACC), São Leopoldo (ACIST) e de Alvorada (ACIAL). 

Agora o Movimento vai participar de uma reunião almoço com os dirigentes do Centro das Indústrias de Cachoeirinha (CIC), para apresentar detalhes do movimento.

Já às 15 horas, uma reunião será realizada na Associação Comercial de Cachoeirinha (ACC),  para um debate mais amplo sobre o tema.

O objetivo do movimento é melhorar a infraestrutura das cidades cortadas pela RS-118, impedindo a instalação de pedágios ao longo da rodovia, pois a mobilidade é fundamental para o desenvolvimento econômico e social das cidades, atraindo e mantendo investimentos, gerando empregos e renda. Pessoas, produtos e serviços circulam com mais agilidade, eficiência e menor custo.

O movimento exige que a recém-duplicada RS 118, obra esperada á mais de 20 anos e que consumiu investimentos públicos da ordem de R$ 400 milhões, não seja concedida á iniciativa privada para ser pedagiada.

As entidades alegam que a RS-118 cruza áreas urbanas de municípios vizinhos, cujas divisas se confundem. Sendo a região é um polo logístico e industrial, e o desenvolvimento das cidades cortadas pela RS-118 depende da boa mobilidade e da competitividade, e pedágios representam custos, gargalos e engarrafamentos em vias próximas.

O movimento concorda que o Governo Leite deve dar a iniciativa privada a concessão da ERS-010, a chamada rodovia do progresso, uma obra nova, que não vai levar recursos públicos.


Marco Barbosa protocola criação de frente na Câmara


Já na Câmara de Vereadores, Marco Barbosa (PP), protocolou na última quarta-feira (19), o pedido para a criação da Frente Parlamentar Movimento RS-118 sem pedágio. 

O objetivo da Frente é organizar debates, audiências públicas, seminários e outros eventos que possam organizar a sociedade cachoeirinhense em torno do tema.

"Assim como lutamos no Movimento do Livre Acesso à Free-Way e tivemos êxito, agora temos uma nova luta em defesa dos empregos e das empresas da região, que é uma RS-118 livre de pedágios", comenta Marco Barbosa.


A opinião de quem usa a RS-118


Dono de um pequeno caminhão, Renato Dorneles de 47 anos, passa diariamente pela RS-118 fazendo fretes. "Depois de vinte anos aguardando a finalização da obra no trecho entre Gravataí e Sapucaia do Sul, agora vamos ter de pagar pedágio?", lamenta o caminhoneiro. 

"Depois de centenas de milhões de reais investidos de dinheiro público, os motoristas da região vão ter de pagar essa conta de novo?", reclama Lúcia Dias, que é representante comercial e se desloca três vezes por semana pela RS-118.

O Governo do Estado está com um problema nas mãos, pois a região não vai deixar o assunto morrer facilmente. 



Por André Guterres/com informações Ascom - foto: Secom/RS





Postar um comentário

0 Comentários