ANUNCIE AQUI


CACHOEIRINHA | Polícia Civil participa da 4ª fase de operação contra a pedofilia



Na manhã desta quinta-feira (28), a Polícia Civil gaúcha participou da Operação Luz na Infância, uma ação nacional coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), no combate à exploração sexual e à pornografia infantil. No estado, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão nos municípios de Alvorada, São Leopoldo, Passo Fundo, Cachoeirinha e Pelotas. Durante as ações, quatro pessoas foram presas e diversos objetos de prova foram apreendidos, como computadores, HDs, pendrives, CDs e outras mídias.

Os alvos foram identificados pela Diretoria de Inteligência da Secretaria de Operações Integradas do MJSP, com base em elementos informativos coletados em ambientes virtuais, que apresentavam indícios suficientes de autoria e materialidade delitiva. Esse conhecimento produzido foi repassado às Polícias Civis dos estados, em especial às Delegacias de Proteção à Criança e ao Adolescente e de Repressão a Crimes Informáticos. Por sua vez, os órgãos policiais fizeram levantamentos de locais, relatórios de serviço, instauração de inquéritos policiais e representação de mandados judiciais.

As ações simultâneas foram realizadas em 26 estados e no Distrito Federal, mobilizando um efetivo de mais de 1500 policiais, e são decorrentes da cooperação mútua entre a Diretoria de Inteligência e a Diretoria de Operações, ambas vinculadas à Secretaria de Operações Integradas do MJSP. Houve também colaboração da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, por meio da Adidância da Polícia de Imigração e Alfândega em Brasília (US Immigration and Customs Enforcement-ICE), oferecendo cursos e capacitações que subsidiaram as quatro fases da Operação Luz na Infância.

No Rio Grande do Sul, participaram das atividades policiais civis do Departamento Estadual de Proteção à Grupos Vulneráveis (DPGV), do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM) e do Departamento de Polícia do Interior (DPI), além de peritos do Instituto Geral de Perícias (IGP).


Por Michel Fontana e Taís Haussen - Foto: Divulgação/PC



Postar um comentário

0 Comentários