ANUNCIE AQUI


Polícia Civil apreende menor que assassinou fotógrafo em Cachoeirinha



Arquivo Pessoal


A Polícia Civil, através da 2ª DP de Cachoeirinha, concluiu nesta sexta-feira (18), as investigações que visavam a apurar a autoria, motivação e circunstâncias envolvendo a morte de conhecido fotógrafo da cidade de Cachoeirinha.

Segundo o Delegado de Polícia Maurício Barison, titular da 2ª DP de Cachoeirinha, foi identificado o autor do crime. Trata-se de um adolescente de 17 anos de idade, morador da cidade, e com registros policiais anteriores pela prática de atos infracionais análogo aos crimes de roubo e tráfico de drogas. 

De acordo com Barison, a investigação teve início imediatamente após o crime e baseou-se em três principais linhas investigativas, quais sejam: roubo seguido de morte (latrocínio); homicídio passional; ou execução relacionada com cobrança de dívida.

O Delegado Barison afirmou que durante toda a semana foram realizadas diligências a fim de localizar o autor do crime. O adolescente foi encontrado na cidade de Gravataí.

“Com a localização do suspeito, foi possível esclarecer o motivo e as circunstâncias do crime. O motivo que levou o adolescente a executar o fotógrafo foi a cobrança de uma dívida (que não é relacionada à agitotagem)”, esclareceu Barison.

O delegado afirmou ainda que, “o adolescente agiu sozinho e foi ao local para ameaçar e coagir a vítima a pagar suas dívidas. No local, o infrator ordenou que a vítima se ajoelhasse e teria perguntado ”onde está o meu dinheiro?” Houve reação por parte de vítima e durante luta corporal, o adolescente efetuou disparo de arma de fogo contra a cabeça da vítima, que morreu no local. Após o crime, o adolescente infrator teria fugido a pé, pelas ruas da cidade e jogado a arma de fogo utilizada no crime (revólver calibre .38, 05 tiros, cor preta e cabo de madeira) no gramado da calçada em frente a uma residência”, relatou o Delegado Barison. A arma de fogo, entretanto, não foi localizada pela polícia.

O adolescente foi submetido a reconhecimento pessoal e foi reconhecido, sem dúvidas, por testemunhas oculares do crime, além de ter confessado a prática do ato infracional.

O Delegado Barison esclarece que o procedimento policial foi concluído e remetido ao Poder Judiciário e foi solicitada a internação provisória do adolescente infrator.

Postar um comentário

0 Comentários