ANUNCIE AQUI


Sessenta crianças de Gravataí participam de mutirão oftalmológico no Hospital Dom João Becker



Uma boa visão é fundamental para crianças, principalmente em idade escolar. Pensando nisso, o Serviço de Oftalmologia da Santa Casa de Misericórdia esteve à disposição de 60 pacientes pediátricos durante esse sábado (31), no Hospital Dom João Becker. O mutirão foi uma iniciativa em parceria com Prefeitura de Gravataí e que também contou com o apoio da empresa Essilor, fabricante de lentes, que doou os óculos para as crianças atendidas.

Ao longo do dia, cinco oftalmologistas se revezaram no atendimento, realizando consultas completas que incluem anamnese (entrevista) e exames, com ou sem dilatação de pupila. “É muito gratificante poder contribuir para a prevenção e para o tratamento de doenças oculares em crianças. Afinal, o diagnóstico precoce pode ser decisivo para evitar o agravamento de muitas condições nos pequenos”, ressalta o chefe do Serviço de Oftalmologia da Santa Casa de Misericórdia, Dr. Alexandre Marcon. Os pacientes com indicação já eram encaminhados para confecção dos óculos no próprio local.

Para a diretoria do hospital, a iniciativa mostra o impacto positivo que a união entre instituição de saúde, poder público e iniciativa privada podem provocar em uma comunidade. “Trouxemos sessenta pacientes do Sistema Único de Saúde que aguardavam por uma consulta e que vão receber seus óculos de maneira gratuita. Não há dúvidas de que essa ação tem cunho social de grande relevância”, afirma o superintendente do Dom João Becker, Dr. Antônio Weston.

O prefeito Luiz Zaffalon enalteceu a ação, que ajuda a diminuir a demanda reprimida por consultas oftalmológicas. “Essa criançada nota a deficiência visual em sala de aula e as famílias muitas vezes não têm condição de comprar uns óculos. Muito importante a nossa parceria com a Santa Casa, identificando e atendendo esse público”, afirma Zaffalon. Segundo ele, é possível alinhar, ainda para esse semestre, mutirões de outras especialidades. Além do Prefeito, a ação contou com a visita do Vice, Dr. Levi Melo, do Secretário Municipal de Saúde, Régis Fonseca, e do Presidente da Câmara Municipal, Alan Vieira.

Uma das atendidas foi Kaylane Alves, de oito anos de idade. De acordo com mãe, Kelen Alves, tanto o processo de marcação, quanto a consulta atenderam plenamente as necessidades de sua filha. “Tivemos um ótimo atendimento. Só tenho a agradecer a todos os envolvidos”, comenta. Essa foi a primeira consulta de Kaylane com um oftalmologista.

Além da coordenação de Alexandre Marcon, a equipe do mutirão oftalmológico foi formada pelos médicos Jiao Fang, Nessana Neubauer, Samara Marafon, Matheus Cruz e Maiara Vendramin, além dos grupos de enfermagem e da área administrativa do Dom João Becker. Um novo mutirão de consultas oftalmológicas deve ocorrer em dezembro.

OS OLHOS DAS CRIANÇAS - De acordo com Alexandre Marcon, o principal problema oftalmológico nos pequenos é miopia ou hipermetropia, com ou sem astigmatismo. Muitas crianças com dificuldades e que não usam óculos podem ter desempenho escolar atrasado e apresentar cefaleia (dor de cabeça). Também correm o risco de não ter a visão completamente desenvolvida. Por isso, iniciativas como o mutirão são de grande importância. “O olho precisa enxergar bem para estimular as partes do cérebro responsáveis pela visão. Se isso não ocorrer de maneira adequada nos primeiros anos de vida, será irreversível no futuro”, afirma.

Segundo o oftalmologista, no momento há uma grande incidência de miopia no mundo, devido a pouca atividade das crianças ao ar livre em conjunto com uso excessivo da visão para perto. “As telas dos eletroeletrônicos, que já eram problema antes da pandemia, com as aulas online se tornaram ainda mais nocivas para a visão das crianças”, complementa. 


Via Ascom - foto: divulgação





Postar um comentário

0 Comentários