ANUNCIE AQUI


Covid-19 | Sindicato acusa Prefeitura de Cachoeirinha por suposta negligência



Na última sexta-feira (22), uma estagiária da Procuradoria Geral do Município, órgão que fica no segunda andar da Prefeitura, teve a confirmação de que estava contaminada com o novo coronavírus (Covid-19).


Diante dessa informação, o Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha - SIMCA, emitiu uma nota em sua página do Facebook denunciando uma suposta negligência por parte da Prefeitura em não cumprir seu próprio decreto, onde se teria conhecimento de mais ou menos uma semana da contaminação da estagiária e medidas preventivas não teriam sido tomadas pela prefeitura para testar os funcionários do prédio sede, além do seu fechamento para sanitização.


Nesta segunda-feira (25), o Simca em um vídeo postado no Youtube, informa que a diretoria do sindicato ingressou na Justiça para pedir o fechamento do prédio da prefeitura, além de ter encaminhado um oficio para a Câmara de Vereadores para denunciar o caso, pois o Simca entende que não só os servidores, mas também a população que procura os serviços públicos no prédio da Prefeitura, estão em risco.


Em uma reportagem do jornal Correio do Povo, a Prefeitura se posicionou sobre o caso e informou que a estagiária está em casa, sob observação e que a Vigilância Sanitária está fazendo a identificação das pessoas que entraram em contato com a estagiária para serem testados e monitorados. Leia a reportagem clicando aqui.

Em uma transmissão ao vivo na manhã desta terça-feira, a secretária Aline Mello informou que o prédio sede da Prefeitura passará por sanitização e que todos os protocolos de segurança estão sendo cumpridos.


Abaixo segue a nota divulgada pelo Simca:


CONFIRMADO MAIS UM CASO DE COVID NA SEDE E PREFEITURA DESCUMPRE O PRÓPRIO DECRETO


Nesta sexta-feira (22) foi confirmado mais um caso de Covid-19 dentre os servidores que trabalham na sede da prefeitura, mesmo local onde os primeiros casos da região foram atestados, inclusive o do vice-prefeito Maurício Medeiros. A infectada é uma estagiária da Procuradoria Geral do Município e não teve o seu nome revelado. Conforme relato de alguns servidores, a gestão já estava ciente da situação há pelo menos uma semana, mas não tomou medida alguma para evitar a possível contaminação de mais pessoas que circulam pelo prédio e tiveram contato com a estagiária. Outros servidores também estão com suspeita e aguardam o resultado dos testes. A confirmação veio justamente na mesma semana que o Executivo determinou o retorno dos servidores acima de 60 anos, considerados como grupo de risco, às atividades presenciais e quando o município ocupa o primeiro lugar no número de contaminações da região.


Na sede da prefeitura funcionam várias secretarias, portanto há grande circulação de pessoas nas suas dependências. Conforme o decreto n° 6.902, publicado em 13 de maio, a entrada de idosos deveria ser permitida apenas das 9 h às 11 h, horário destinado exclusivamente para atendimento deste grupo, considerado de risco. No entanto, conforme depoimento de vários servidores, e até mesmo de contribuintes que frequentam o local, a determinação não vem sendo cumprida pelo Executivo Municipal, possibilitando a circulação dessas pessoas, extremamente vulneráveis, em qualquer horário do dia, compartilhando o espaço com o restante da população que também busca o atendimento. Além disso, outras normas estabelecidas no decreto estão sendo negligenciadas, como o distanciamento entre os próprios servidores que trabalham dentro dos diversos setores do local, as salas são apertadas, o rodízio dos turnos não vem funcionando, visto que muitos cargos comissionados parecem estar sem uma escala pré-definida, cumprindo a jornada da maneira que quiserem, aumentando a quantidade de pessoas e causando aglomerações em determinados horários.

O funcionamento da sede da prefeitura vem causando várias polêmicas desde que foi decretada a situação de emergência no município, visto que o local é extremamente insalubre, não possuindo ventilação adequada e contando com a falta de materiais de higiene e equipamentos de proteção para os servidores poderem exercer suas atividades. O descaso com a adoção dessas medidas de prevenção também coloca a vida da população que busca atendimento em risco, quando esta se expõe indo até o local e, por muitas vezes, sequer consegue que as suas necessidades sejam atendidas, considerando que um novo sistema de informática está sendo implementado pela gestão municipal e ocasionando diversos problemas de migração, justamente nesse período crítico pela qual todos estamos passando.

O Sindicato dos Municipários de Cachoeirinha vem cobrando insistentemente o governo municipal para que, acima de tudo, cumpra com a sua função de preservar a vida dos trabalhadores e da população, inclusive ajuizando inúmeras ações devido ao descumprimento de algumas medidas de prevenção obrigatórias. Exigimos a interdição imediata do prédio onde funciona a sede da prefeitura para desinfecção e a testagem dos trabalhadores que nela circulam, caso contrário não há qualquer possibilidade de retorno às atividades e do atendimento à população com segurança.


Lutar por nossas vidas muda tudo.


Link original da postagem pode ser acessado clicando aqui.


Foto: divulgação

Postar um comentário

0 Comentários