ANUNCIE AQUI


Luciana Genro cobra explicações sobre cobranças em Hospital Público Veterinário de Porto Alegre





O único hospital veterinário público de Porto Alegre passou a cobrar por parte dos atendimentos a partir do início de outubro. Agora, são somente 20 atendimentos gratuitos e, após este número, os procedimentos e consultas são pagos. A informação sobre o início das cobranças foi divulgada em matéria do jornal Zero Hora no último dia 8, na qual consta que os valores variam de R$ 17 a R$ 440, a depender do procedimento. Diante da notícia, a deputada Luciana Genro (PSOL), que tem atuado em parceria com ativistas da causa animal, enviou ofício à prefeitura da cidade questionando sobre a mudança.


A proposta da Unidade de Saúde Animal Victoria, conforme divulgado quando foi inaugurado em 2016, é atender animais de rua, incluindo vítimas de maus-tratos, atropelamentos e também tutores de cães e gatos inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal que não tenham condições de pagar tratamento para seus animais. O local tem capacidade para atender 150 animais na sala de recuperação e mais 150 na triagem. Agora, a castração, serviço que os protetores de animais consideram fundamental para os animais de rua, passa a custar R$ 123,29.


A prefeitura teria informado, em nota, que o contrato com a administradora do hospital está em fase de renovação e, por isso, a entidade decidiu iniciar a prestação de serviços com possibilidade de pagamento a preços populares, de acordo com os termos do contrato. No ofício, Luciana Genro questiona a justificativa legal para a cobrança dos serviços, pede a cópia do contrato com a administradora do hospital veterinário e, no caso de o contrato anterior estar suspenso, informar quais as razões para a suspensão.


“Não podemos aceitar que um hospital veterinário público, o único desse tipo na cidade, passe a cobrar por parte dos atendimentos. Os protetores de animais contam com essa instituição para que eles consigam ajudar os animais sem ter prejuízos financeiros. A existência do serviço gratuito é uma garantia de que esses animais não ficarão desamparados”, apontou Luciana Genro.

Via Ascom - foto: divulgação



Postar um comentário

0 Comentários