ANUNCIE AQUI


Operação contra atestados médicos falsos é realizada em Cachoeirinha e Gravataí





A Polícia Civil, através da 2ª Delegacia de Polícia de Combate à Corrupção (2DCOR) e da Delegacia de Repressão aos Crimes Informáticos (DRCI), coordenadas pelos Delegados de Polícia Vinicios do Valle e André Lobo Anicet, respectivamente, realizou a operação policial denominada “AVOCAT” (advogado em francês), com o intuito de dar cumprimento a ordens judiciais em desfavor de advogado investigado por crimes contra a Fé Pública e contra a Administração da Justiça.

A investigação, feita pela Força-Tarefa coordenada pelo delegado Marcus Viafore, teve o objetivo de apurar um esquema de uso de atestados médicos falsos para a liberação de presos em razão da pandemia causada pelo Covid-19, após circularem em grupos de mensagens instantâneas áudios de advogados que faziam referência a este suposto esquema.

Essa operação buscou apreender material probatório e a prisão do advogado. Na ação, 15 agentes policiais e 4 delegados de polícia, cumpriram três mandados de busca e apreensão nas cidades de Gravataí e Cachoeirinha, além da prisão preventiva do advogado investigado. Foram apreendidos computadores, telefones celulares, documentos e dinheiro, aproximadamente R$ 7.000,00 (sete mil reais).

Segundo os delegados, o material apreendido será analisado, juntamente com o depoimento do preso, e juntado a outras diligências, para que se possa chegar a um esclarecimento do caso.



Por Jorge Felipe e Leandro Adão/Foto: divulgação/PC




Postar um comentário

0 Comentários