ANUNCIE AQUI


Frente parlamentar contra o pedágio na RS-118 é formada em Cachoeirinha



Ocorreu nesta quinta-feira (10), a instalação da Frente Parlamentar do Movimento RS 118 SEM PEDÁGIO. A Frente Parlamentar foi proposta pelo vereador Marco Barbosa (Progressistas), que também será o coordenador dos trabalhos. A reunião de instalação foi realizada no restaurante Selita Scnheider, localizado no Centro das Indústrias de Cachoeirinha (CIC) e contou com a presença de vereadores, empresários e membros da comunidade.

Conforme Marco Barbosa, a luta desta Frente Parlamentar é para evitar que seja feito pedágio em nenhuma parte da ERS-118. "Nosso posicionamento é claro: somos contra o pedágio em qualquer trecho da rodovia, seja ele duplicado ou ainda não duplicado", frisa. O vereador progressista destaca, ainda, a importância da mobilização. "Temos o exemplo do Movimento Livre Acesso à Free Way, que conseguiu a transferência da praça de pedágio de Gravataí e a alça de acesso a Cachoeirinha. Por isso temos que estar atentos e vigilantes para que não haja pedágio na 118".

O vereador David Almansa (PT) comenta que esta é uma luta que coloca a Câmara de Vereadores e a sociedade em conexão. "É um momento de ouvir todas as partes envolvidas e também de qual o modelo de desenvolvimento que queremos para a região", argumenta.
Para o vereador Mano do Parque (PSL), a população já arca com uma alta carga tributária e a cobrança de pedágio seria ainda mais pesada. "Precisamos trazer essas discussão para a nossa sociedade. Uma praça de pedágio vai prejudicar todo nosso polo empresarial e a mobilidade da região", acredita.

Cleber Soares, presidente da Associação Comercial de Cachoeirinha (ACC) ressalta que são oito entidades empresariais de diversos municípios envolvidos no Movimento RS 118 SEM PEDÁGIO. "Precisamos ter liberdade para o deslocamento entre os nossos municípios. Por isso é tão importante estarmos unidos para evitar o pedágio na ERS-118", afirma.

Já Darcy Zottis, representante da Federasul, acredita que Cachoeirinha tem condições de crescer ainda mais, mas para isso é preciso evitar o pedagiamento da ERS-118. "Essa mobilização do Movimento já tirou a possibilidade de pedagiarem o trecho duplicado. Mas precisamos enxergar o todo da região e um pedágio na rodovia vai fazer Cachoeirinha deixar de ser um polo atrativo para novas empresas", frisa. Zottis também alerta para a necessidade de engajamento imediato nas ações do Movimento RS 118 SEM PEDÁGIO. "O governo do Estado está mostrando interesse na concessão em breve. Precisamos estar fortes para conquistar nosso objetivo", finaliza.

Texto/foto: divulgação



Postar um comentário

0 Comentários